Metrô de Londres: 5 dicas de ouro

O metrô de Londres é o sistema de transporte subterrâneo mais antigo do mundo (foi inaugurado em 1863!) e segundo a Wikipedia é o 3º mais extenso (depois de Shangai e Pequim – claro…). O metrô é uma mão na roda para quem quer explorar a Londres ao máximo, e navegar por ele é super intuitivo, Ainda assim, o London underground pode ser fonte de dor de cabeça para quem não o conhece bem. Se até quem mora em Londres às vezes se confunde com o metrô, imagina quem passa só alguns dias na cidade. Eu mesma, confesso, já peguei muito trem errado por aí Lengua fuera

Metro Camden Town Londres

Foto: Tininha

Por isso reuni 5 dicas para te ajudar a se entender de primeira com o tube (como o metrô é carinhosamente chamado) e se locomover em Londres com toda a propriedade. Este post não pretende ser um guia completo do metrô de Londres, mas um apanhado de dicas práticas de navegação.

 

1. NUNCA compre bilhetes unitários!!!

 

Assim com 3 pontos de exclamação mesmo. Não vale a pena comprar bilhetes unitários do metrô de Londres por nada desse mundo! Na minha primeira viagem a Londres eu comprei 10 bilhetes unitários e deixei uma pequena fortuna no metrô. Ah se eu conhecesse os blogs de viagem em 2005… enfim, a mensagem é: o transporte público de Londres, que já é caro, pode ficar muito mais caro se você não se planejar minimamente.

Seu melhor amigo em Londres será o Oyster Card, seja na modalidade Pay-as-you-go (pré-pago: você carrega um valor que será descontado a cada viagem), ou Travelcard (pague antecipado e use quantas vezes quiser durante um dia ou uma semana – saiba mais na série de posts Como rodar em Londres). Você pode inclusive comprar um Oyster Card pré-pago antes de viajar no site do Visit Britain, e já chegar a Londres abalando (ele é enviado para o Brasil, mas precisa ser comprado com muita antecedência). O Oyster também funciona nos ônibus, DLR e barcos do Tâmisa.

Quem dera o metrô fosse sempre vazio assim...

Quem dera o metrô fosse sempre vazio assim… 😉

 

2. Conheça a geografia de Londres

 

Ter noção da geografia da cidade vai te ajudar a navegar no metrô. Isso porque a direção dos trens é indicada pela parte da cidade para a qual está indo. Calma, não precisa decorar o mapa da Londres inteiro. Basta entender se o lugar para o qual você quer ir está a norte, sul, leste ou oeste de onde você está. Por exemplo: se você está em Oxford Circus pegando a Central Line (linha vermelha) para ir a Notting Hill, você está indo para o oeste, então deve seguir as indicações na estação para Westbound (em direção a oeste). E assim, o trem Eastbound vai na direção leste, Northbound ao norte e Southbound ao sul.

Fonte: Transport for London

Fonte: Transport for London

Baixe aqui o mapa do metrô de Londres em pdf

3. Atenção especial à Northern Line

 

Como se não bastasse esse tanto de coisa para prestar atenção, ainda tem a Northern Line (a linha preta, sentido norte-sul) para acabar de dar um nó na cabeça dos novatos. E é muito provável que você vá andar nela alguma vez durante a sua viagem. Essa linha tem 4 bifurcações (e estão construindo a quinta!), ou seja, dependendo da rota os trens param em umas ou outras estações.

No centro, a Northern Line se divide em dois “ramais”: Charing Cross, que passa por Tottenham Court Road, Leicester Square, Waterloo; e Bank, que passa pela City – King’s Cross, Angel, London Bridge, etc. No norte da cidade a linha se divide no ramal de Edgware, que passa pelo fofíssimo bairro de Hampstead, e o de High Barnet (e uma mini-bifurcação para Mill Hill que é uma área super residencial, quase cidade do interior). A quarta bifurcação da linha é um desvio sutil entre Camden Town e Euston. Só os trens do ramal Charing Cross passam por Mornington Crescent, o que não seria tao relevante se um dos meus restaurantes preferidos de Londres, o melhor pé sujo japonês fora do Japão e de Sao Paulo, não estivesse ali.

As estações de Camden Town e Euston, que juntam todos os “ramais” da Northern Line, são enormes e super movimentadas em todas as horas do dia.

Dica bônus: a Piccadilly Line (azul) também bifurca na direção de Heathrow. Se você vai ao aeroporto de metrô, fique atent@ para não pegar o trem errado.

 

4. No centro, ande a pé em vez de pegar o metrô

 

O mapa do metrô não mostra a distância exata entre as estações, mas no centro de Londres elas ficam muito perto umas das outras. Para andar só uma estação provavelmente você demoraria mais de metrô do que a pé.

Alguns exemplos: Na Central Line, Marble Arch, Bond Street e Oxford Cricus são super andáveis pela Oxford street (o trecho entre Oxford Circus e Tottenham Court Road é mais longo e com lojas menos interessantes, mas também dá para fazer).  Na Piccadilly Line, Piccadilly Circus, Leicester Square e Covent Garden são super perto. Na Northern Line, você pode ir a pé tranquilamente de Embankment a Charing Cross, Leicester Square e Tottenham Court Road. Na Jubilee Line, Westminster a Waterloo é um dos passeios a pé mais bonitos de Londres (veja ele no mapa do roteiro de 1 dia em Londres).

Dica bônus: Evite usar a estação de Covent Garden, principalmente nos fins de semana. Além da muvuca que passa por lá, o acesso às plataformas é feito por dois elevadores super lentos. Demoooora muito!

Às vezes uma caminhada rápida vale mais à pena que pegar o tube

Às vezes uma caminhada rápida vale mais à pena que pegar o tube

 

5. Não emperre o caminho

 

Em Roma, faça como os romanos, e em Londres como os londrinos. Se tem uma coisa que tira o povo de Londres do sério é gente atrapalhando seu caminho no metrô em dois momentos: na catraca e na escada rolante. Ninguém vai te dizer nada, mas vão começar a bufar atrás de você se você ficar procurando seu Oyster Card na hora de entrar no metrô. Melhor tê-lo sempre à mão. Mesma lógica se aplica à rolante: subindo ou descendo, pare do lado direito. O lado esquerdo é para os apressados.

Tem uma dica do metrô que não está aqui? Conta nos comentários e enriqueça este post!

Veja todas as Dicas básicas de sobrevivência em Londres do Segredos de Londres

Como rodar em Londres como um local

Decifrar o metrô não é pra você? Contrate um motorista que fala português

 

 

Reserve seu hotel em Londres com o Booking

 

 

Este blog é parceiro do Booking, o que significa que ganhamos uma comissão a cada reserva originada aqui. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda este blog a se manter vivo!

O metrô de Londres é o sistema de transporte subterrâneo mais antigo do mundo (foi inaugurado em 1863!) e segundo a Wikipedia é o 3º mais extenso (depois de Shangai e Pequim - claro...). O metrô é uma mão na roda para quem quer explorar a Londres ao máximo, e navegar por ele é super intuitivo, Ainda assim, o London underground pode ser fonte de dor de cabeça para quem não o conhece bem. Se até quem mora em Londres às vezes se confunde com o metrô, imagina quem passa só alguns dias na cidade. Eu mesma, confesso, já peguei muito trem errado por aí Foto: Tininha Por isso reuni 5 dicas para te ajudar a se entender de primeira com o tube (como o metrô é carinhosamente chamado) e se locomover em Londres com toda a propriedade. Este post não pretende ser um guia completo do metrô de Londres, mas um apanhado de dicas práticas de navegação.   1. NUNCA compre bilhetes unitários!!!   Assim com 3 pontos de exclamação mesmo. Não vale a pena comprar bilhetes unitários do metrô de Londres por nada desse mundo! Na minha primeira viagem a Londres eu comprei 10 bilhetes unitários e deixei uma pequena fortuna no metrô. Ah se eu conhecesse os blogs de viagem em 2005… enfim, a mensagem é: o transporte público de Londres, que já é caro, pode ficar muito mais caro se você não se planejar minimamente. Seu melhor amigo em Londres será o Oyster Card, seja na modalidade Pay-as-you-go (pré-pago: você carrega um valor que será descontado a cada viagem), ou Travelcard (pague antecipado e use quantas vezes quiser durante um dia ou uma semana - saiba mais na série de posts Como rodar em Londres). Você pode inclusive comprar um Oyster Card pré-pago antes de viajar no site do Visit Britain, e já chegar a Londres abalando (ele é enviado para o Brasil, mas precisa ser comprado com muita antecedência). O Oyster também funciona nos ônibus, DLR e barcos do Tâmisa. Quem dera o metrô fosse sempre vazio assim... 😉   2. Conheça a geografia de Londres   Ter noção da geografia da cidade vai te ajudar a navegar no metrô. Isso porque a direção dos trens é indicada pela parte da cidade para a qual está indo. Calma, não precisa decorar o mapa da Londres inteiro. Basta entender se o lugar para o qual você quer ir está a norte, sul, leste ou oeste de onde você está. Por exemplo: se você está em Oxford Circus pegando a Central Line (linha vermelha) para ir a Notting Hill, você está indo para o oeste, então deve seguir as indicações na estação para Westbound (em direção a oeste). E assim, o trem Eastbound vai na direção leste, Northbound ao norte e Southbound ao sul. Fonte: Transport for London Baixe aqui o mapa do metrô de Londres em pdf 3. Atenção especial à Northern Line   Como se não bastasse esse tanto de coisa para prestar atenção, ainda tem a Northern Line (a linha preta, sentido norte-sul) para acabar de dar um nó na cabeça dos…

Avalie este post!

Nota

User Rating: 4.36 ( 8 votes)
0

Você também vai gostar de ler estes posts:



About

Multiplicando o amor por Londres desde 2011


'Metrô de Londres: 5 dicas de ouro' have 20 comments

  1. 04/06/2015 @ 3:04 am Tina Wells

    Muito bom! Eu fico bufando atrás do povo que atravanca as catracas procurando o bilhete/Oyster! Uma outra coisa muito desagradável é gente que fica bem na porta na hora de entrar no trem e não deixa o povo sair – “Let people out of the train first”! E o mesmo se dá dentro do trem, gente que fica obstruindo as portas e só vão sair lá na última estação – “Move right down inside the cars”!
    Só mais uma coisa, além do Oyster, vc agora pode pagar com cartão de débito ou crédito “contacless” – a última vez que estive no Brasil vi que os bancos lá já começaram a introduzir o sistema.

    Reply

    • 21/06/2015 @ 5:39 pm Deb

      Que bom que gostou, Tina.
      Ouvi dizer que estão construindo um metrô só para turistas, para não incomodarem os habitantes – – – – – brincadeirinha 🙂
      O contactless é mesmo uma boa para emergências, porque a taxa de conversão + IOF não são lá muito econômicas. Não vi muitos cartões contactless no Brasil, mas com certeza é uma tendência, obrigada por lembrar, vou adicionar a informação!

      Reply

  2. 05/06/2015 @ 12:27 pm Gabriela Palma

    Em 2012 quando eu fui à Londres já haviam os blogs…Aprendi direitinho e não fiz feio. hahaha
    Adorei o post Deb!

    Reply

    • 21/06/2015 @ 5:28 pm Deb

      Fico feliz que você tenha curtido, Gaby! Pois é, blogs de viagem são uma mão na roda, né? 😉
      beijos!

      Reply

  3. 21/09/2015 @ 10:02 am Leticia

    Oi Deb! Segunda pergunta do dia, rsrs… Uma coisinha que apesar de ler vários posts ainda não entendo muito bem: em Londres todos os trens passam na mesma plataforma? Ou é como aqui em São Paulo, temos que ficar trocando de plataforma dentro da estação para ir para linhas de outras cores? Por exemplo, aqui em SP se estou na linha azul e quero ir para a linha verde, tenho que descer do trem subir e/ou descer escadas e pegar a linha verde em outra plataforma. Em Londres é assim também? Bjs! Leticia

    Reply

    • 21/09/2015 @ 10:56 am Deb

      Oi Leticia,
      Em Londres cada linha tem a sua plataforma também, com raras exceções. Pense positivo: isso ajuda a evitar que se pegue o trem errado (ainda que isso aconteça bastante 🙂 ). Não se preocupe, é tudo muito bem organizado e sinalizado.
      Abraço!

      Reply

      • 21/09/2015 @ 11:19 am Leticia

        ai, ai, ai, medo desse metrô viu? rsrs
        Cheguei até a trocar de hotel para ficar em uma estação mais central (Bayswater). É nossa primeira vez em Londres e o metrô é o que mais me preocupa! 🙂
        Bjs e obrigada pela resposta!

        Reply

  4. 21/09/2015 @ 2:53 pm Camilla

    Gente do céu, queria dar um beijo em todas as pessoas que fazer post maravilhosos como esse!!! Estou indo para Londres em Novembro e vou fazer tudo direitinho para não atrapalhar o nativos!!!

    Reply

  5. 21/09/2015 @ 3:57 pm Marcelo

    Mas para não ter erro mesmo a melhor forma de transitar é baixando o app que faz os itinerários com todas as trocas… Melhor forma de se locomover! Belo post!

    Reply

    • 03/10/2015 @ 7:48 pm Deb

      Boa! Qual app você usa? Ouvi que a CityMapper é muito boa mas ainda não usei.
      Abraço!

      Reply

    • 06/12/2016 @ 10:55 pm Iolanda

      Oi, Qual é esse app?

      Reply

      • 07/12/2016 @ 5:23 pm Deb

        Oi Iolanda, que app? 🙂

        Reply

  6. 30/03/2016 @ 12:16 pm Bruna

    Olá! Obrigada pelo post

    Reply

  7. 30/03/2016 @ 12:21 pm Bruna

    Olá! Obrigada pelo post!
    Eu e meu marido vamos para Londres em dezembro/2016. Estamos bem apreensivos com o metrô, ainda mais porque nunca usamos o metrô/trem nem aqui no Brasil hehe então não faço muita ideia! 🙁
    Fico com dúvida pensando como saber em qual vagão eu vou entrar e como eu vou saber a hora de descer rsrs muito medo! Esses painéis eletrônicos indicam quais vagões vão sair pra determinada região? (norte, sul, leste, oeste) tipo, se eu vou descer em uma estação que está a leste tenho que seguir essas placas e então vou encontrar o vagão que devo embarcar?
    Seria pedir demais um passo a passo mais detalhado? 😡
    Muito obrigada!

    Reply

    • 30/03/2016 @ 12:22 pm Bruna

      Ignore esse emoticon com cara de bravo! foi sem querer rsrs

      Reply

    • 30/03/2016 @ 4:07 pm Deb

      Oi Bruna,
      Não se preocupe, os vagões não se separam 🙂
      O importante é ficar de olho na direção do trem em relação ao lugar onde você embarca.
      Pegue um mapinha do metrô em qualquer estação e consulte-o sempre antes de embarcar para entender se você está indo para norte, sul, leste ou oeste, e pegue o trem na direção correspondente. Para saber a hora de descer, veja quantas estações são até onde quer ir e fique atenta nas paradas. É mais fácil do que parece!
      Não dá para explicar em mais detalhe porque vai sempre depender de onde você embarca e para onde vai. Mas os funcionários e próprios passageiros costumam ser solícitos, qualquer dúvida pergunte!
      Se não conseguir, considere usar Uber ou o serviço de motoristas brasileiros que é parceiro do blog: http://www.segredosdelondres.com.br/motoristas-brasileiros-em-londres-nova-parceria/

      Reply

      • 12/04/2016 @ 8:56 am Bruna

        Obrigada!
        Se Deus quiser vai dar tudo certo! rs
        Depois volto pra contar como foi!

        Reply

  8. 05/05/2016 @ 6:23 pm CASSIO COELHO

    Ótimo Post =)
    Ficarei apenas dois dias em Londres, partindo de Liverpool (Liverpool Lime Street).
    Meus principais objetivos em Londres são Visitar a Kings Cross e os Studios da Warner.
    O ideal para mim é adquirir o cartão ou apenas one way tickets? Estou um pouco perdido rsrs

    Obrigado

    Reply

    • 06/05/2016 @ 12:06 pm Deb

      Oi Cassio,
      One way tickets jamais!
      Adquira o cartão Oyster quando chegar a Londres e carregue um crédito de 13 libras no sistema pay as you go. Ele vai descontando o crédito a cada vez que você usar o metrô ou ônibus. Quando for embora, pode pedir o reembolso do crédito restante, se não tiver gasto tudo.
      Atenção: o Warner Bros. Studios fica fora de Londres, a cerca de 30Km da cidade. Para chegar lá é preciso pegar trem e ônibus, ou comprar o transfer da atração.
      Abraço.

      Reply

  9. 09/03/2017 @ 5:35 pm Bruna

    Dicas de ouro mesmo! Principalmente a número 3. Obrigada!!

    Reply


Would you like to share your thoughts?

Your email address will not be published.

Segredos de Londres: multiplicando o amor por Londres desde 2011