Brincadeira interativa: participe!

Criei um ranking dos 10 lugares que não se pode deixar de visitar em Londres no Rankpad. Até porque, Londres sem o básico não é Londres! 🙂

A graça do negócio é que a lista é interativa, qualquer um pode votar. Vai lá!

Você precisa se registrar para votar, mas não demora nem um minuto.

 

O meu top 10 foi esse:

  1. Big Ben e o Parlamento
  2. Rio Tâmisa visto da ponte de Waterloo
  3. Torre de Londres e Tower Bridge
  4. British Museum
  5. Camden Town
  6. Brick Lane e o mercado de Spitalfields (domingos)
  7. Notting Hill e Portobello Road (mercado aos sábados)
  8. Museus de arte: National Gallery, Tate Modern, Tate Britain, V&A
  9. Troca da guarda no palácio de Buckingham
  10. Museu de Londres


About

Multiplicando o amor por Londres desde 2011


'Brincadeira interativa: participe!' have 7 comments

  1. 26/10/2011 @ 2:35 pm Jaqueline Leite

    BIG BEM

    Reply

    • 27/10/2011 @ 11:26 pm Deb

      Jaqueline, vai la no Rankpad e vota no seu ranking!

      Reply

  2. 10/02/2012 @ 1:22 am » Museum of London Segredos de Londres

    […] museus preferidos aqui em Londres e o Museum of London. Ele é o número 6 da minha lista dos 10 lugares que não se pode deixar de visitar e o segundo museu, depois do British […]

    Reply

  3. 07/01/2014 @ 5:08 am Clarissa Donda

    Oi, Deb!
    Tô aqui, devolvendo a visita e dando meu humilde pitaco!
    Pois é, morei esse ano dois meses em Londres, e mesmo com tanto tempo, acredite se quiser: não fui no British Museum e no Brick Lane. A razão: sabe aquela coisa de “ah, tô morando aqui e posso vir depois porque vou ter tempo?”. Pois é, o tempo passou, acabou e eu voltei sem ir! Mas tem um lado bom: vou ter que voltar a Londres, agora, só para isso! Olha que chato! 🙂

    Adoro Camden, adoro os Museus (especialmente o de História Natural e Science Museum). Mas adicionaria aí na lista também os parques ingleses (particularmente eu curtia muito o Kensington Gardens e aquela área charmosíssima) e passear no Southbank à tarde – melhor ainda se for em dia de sol e no verão. Londres é imbatível quando o tempo tá bom, e inesgotável sempre! 🙂

    Reply

    • 07/01/2014 @ 9:17 pm Deb

      Oi Clarissa, obrigada pela visita! 🙂
      Vou te confessar que sempre que olho para essa lista tenho vontade de mudá-la! Vou acabar fazendo um post atualizado, e talvez organizar as recomendações em categorias (principalmente para me livrar do peso de ter que decidir, por exemplo, se o Museum of London vem antes ou depois de Camden… que difícil!)!
      Concordo que os parques são incríveis (o meu preferido é o Regent’s Park), vou dar um jeito de incluí-los na lista.
      beijo,
      Deb

      Reply

  4. 08/01/2014 @ 9:00 pm Alexandre

    Deb, como eu respondi lá no seu comentário feito no Dondeandoporaí sobre a furada que é a troca da guarda (Item 9):

    O item 6 da sua lista “Brick Lane e o mercado de Spitalfields” é uma outra furada que eu e minha esposa nos arrependemos amargamente de termos abraçado.

    Nessa primeira vez que fomos em Londres (Fev/2012) chegamos num sábado de noite, então nosso primeiro dia inteiro lá seria um domingo e eu tinha lido tantas coisas boas sobre esse “programão” que não tive dúvida, coloquei como primeira coisa no roteiro.

    Acordamos cedinho e rumamos leste… e foi aquela decepção. Minha esposa não me perdoou até hoje por ter levado ela pra lá como primeiro lugar de Londres pra conhecermos.

    Outro lugar que não indicarei jamais pra alguém e jamais pretendo voltar…

    Eu indicaria o Hyde Park e o St. Jame’s Park como dois programas muito mais interessantes, mesmo no inverno.

    Reply

    • 15/01/2014 @ 2:56 am Deb

      Oi Alexandre,
      Que pena que você não gostou de Brick Lane. Acho que gostar ou não de um lugar, restaurante, filme, etc. é, principalmente, uma questão de expectativa.
      Posso te escrever um post inteiro sobre o que eu gosto em Brick Lane (aliás, boa ideia, vou fazer um!) e te asseguro que é muito mais do que uma feira de rua igual às do Brasil.
      O lugar transpira história, pois foi o ponto de chegada de muitas comunidades estrangeiras que hoje são parte de Londres. A feira de comidas coberta representa uns 20 países. A Rough Trade é o paraíso de qualquer aficionado por música. Para quem gosta de garimpar peças de 2a mao, a região é a maior concentração de brechós por metro quadrado da cidade. A área fervilha com street art e galerias. E sabendo onde e quando ir, há ótimas noitadas.
      Em resumo, para mim o local é uma experiencia quintessencialmente londrina.
      Fiquei curiosa, o que você estava esperando encontrar por lá?
      Abraço,
      Deb

      Reply


Would you like to share your thoughts?

Your email address will not be published.

Segredos de Londres: multiplicando o amor por Londres desde 2011